Ir al contenido principal

O Bairro e o Mar...poeticamente La Barceloneta.

De todos os cantos do mundo
Amo com um amor mais forte e mais profundo
Aquela praia extasiada e nua,
Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.
                                          (Mar – Sophia de Mello Breyner Andresen)



Não posso falar de meu bairro...não posso falar de La Barceloneta sem antes postar uma imagem feita com os “olhos do meu coração”. Faz tempo que queria escrever algumas linhas boêmias sobre essas ruas pequenas, sobre estes cafés de esquina, a confusão ruidosa do mercado central, o vai e vem dos “guiris” (gringos) no passeio marítimo...faz tempo. Faz também muito tempo de minha íntima relação com La Barceloneta – o bairro favorito de minha mãe (e de meu pai). Dona Nita caminha sem rumo por estas “calles”, fascinada com o vizinho que coloca o seu varal de roupa na calçada, do lado de fora de casa, e que aos outros vizinhos não lhes importe nem o mínimo a coleção de intimidades que aí está exposta. Minha mãe que em apenas um mês pode construir uma relação de sólida amizade com as comerciantes chinesas das lojinhas locais ou com os “paquiamigos” que comandam os obsoletos locutórios que restam na vizinhança.
Já perdi a conta das vezes que já me perguntaram: “Como vocês agüentam essa movida?”; “Não estão de saco cheio dessa turistada toda pelo bairro?”....se os digo a verdade muitas vezes, sim! Mas tudo isso faz parte da essência, do diferencial, do charme e de tudo mais que representa La Barceloneta.


Antigo bairro dos pescadores que pertence ao distrito de Ciutat Vella de Barcelona. Sua construção data do século XVIII aonde bem no centro se localiza a linda igreja de Sant Miquel del Port. Ao longo do Passeig Joán de Borbó – calçadão que esta localizado de frente a Marina de Port Vell – se concentram todos os mais famosos restaurantes de mariscos da cidade. Indicação certa para quem busca uma boa paella ou Mariscada. Quando me pedem dicas de onde comer, eu sempre digo que o melhor é caminhar pelas pequenas ruas do Bairro, buscar lugares aonde nem todos os turistas alcançam. Aqui existem uma infinidade de bistrôs, barzinhos, charmosos cafés com suas terrazas (varandas)...cada um particularmente diferente do outro.

Posso oferecer inúmeros nomes (e sem nenhum ânimo publicitário, porque não recebo nenhum tostão para isso) e tenho certeza que vou acertar o gosto da maioria de vocês, mas como sempre, peço que compartam suas próprias experiências e assim nossa lista cresce e enriquece. Mas vamos lá!!
Começando o dia não há nada mais gostoso que tomar um café de frente para o mar; de frente à Praia de La Barceloneta sentar na terracinha do Buenas Migas e tomar um bom café com leite acompanhado de raios de sol e uma tostada de pan de brioche com marmelada de arandanos. Sabor de Deus!! Na hora do Vermut ou Brunch uma boa pedida é caminhar até a Calle Maquinista e esperar (porque sempre está cheio) uma mesinha no La Bombeta; para tomar uma boa copa de Cava acompanhada de uma de suas famosas bombas (que são uma espécie de croquete) recheadas. Divino!! Seguindo a linha copa e tapa, outra opção fantástica está na calle Balboa 16 e se chama Segons Mercat; não deixem de buscar por minha amiga Erika quando forem por aí e peçam a ela para provar o imperdível Carpaccio de Atun Rojo e/ou Tacos de Salmón com piñones y eneldo.....hummm tudo obviamente acompanhado por um bom pão com Tomate. Delicia!!

Para almoçar que tal uma paella? Bem no final da Calle Almiral Cervera, chegando à praia de Barceloneta, se encontra o lendário Salamanca. Esse mais que um restaurante é quase uma instituição na cidade de Barcelona. Já havia mencionado em um post anterior quando também citei lugares bons e baratos para comer Albergue: Barcelona pagando pouco.. O Salamanca é o típico caótico ambiente dos restaurantes Espanhóis. Muitos camareros (garçons) andando rápido e falando bastante alto; vitrines com muitos peixes e mariscos de todas as espécies – vivos e agonizantes – esperando serem “pescados” ao momento por algum cliente; paredes recheadas de fotos de famosos do mundo com o agraciado dono do Estabelecimento; patas de Jamon ao ponto de corte e muita...muita comida que sobrevoa as mesas em grandes bandejas de prata. Mas uma verdade deve ser dita meus queridos!! Sentar no Salamanca é sinônimo de comer paellas e mariscos. Já nos aventuramos alguma que outra vez com assados e carnes e a experiência não foi nada boa. Para o café de fim de tarde – depois de uma boa siesta – nada melhor que caminhar até a praça do mercado e sentar na parte de fora do El Guindilla. Não existem melhores vistas para a vida do Bairro!! Aí se “joga conversa fora” olhando o vai e vêm, as crianças correm e brincam e o cafezinho é de primeira.

E que fazer pela noite? Tranquilamente se cruza a praça em direção à Calle L’almirall Churruca e pede uma mesinha na parte de dentro do Churruca 5. Para pedir sim ou sim: Las gambas al ajillo, um bom vinho tinto e chupito de ervas no final. Vale à pena pedir também uma porção de suas deliciosas batatas bravas com molho caseiro. Bom demais!!!

Agora que já deixei todo mundo morrendo de fome...mudemos de assunto....pergunta freqüente: é caro morar na Barceloneta? Vamos dizer que um pouco sim; mas pensar que existem infinitas vantagens embutidas nesse precinho mais salgado. Posso enumerar algumas: desde qualquer parte do bairro, em 5 minutos se alcança a praia; com 10 minutinhos de caminhada chegamos ao centro da cidade (Ramblas – Plaza Cataluña); ao lado de casa está todo o passeio marítimo convidativo a pratica de boas caminhadas e passeios em bicicleta; pegado ao bairro está uma incrível área verde que é o Parque de La Ciudadella: lago, zoológico, área de pic-nic, árvores, fontes...um dos meus lugares favoritos mundo mundial (vocês já viram e com certeza verão muitas fotos nossas aí). Eu costumo dizer que se paga um pouco mais para ganhar em qualidade de vida.

A principal desvantagem talvez esteja relacionada à estrutura...vou tentar me explicar melhor. Barceloneta é um bairro bastante antigo, bem como todo o seu conjunto de edifícios. A maioria dos apartamentos são muito pequenos (uma média de 30m/2) e quando reformados se transformam em estúdios de apenas 1 ambiente. Elevador é artigo de luxo, então muitas vezes você encontra apartamento em um quinto andar para subir de escada...believe!! é mais comum do que se imagina. Tenho muitos amigos que vivem a 20 minutos do centro e pagam o mesmo que eu, mas a casa tem duas vezes o tamanho da nossa. Por outro lado esses mesmos amigos pegam duas conexões de metrô para chegar ao trabalho ou a praia; preguiça.....enfim, repito que tudo é questão do que você busca e o quanto está disposto a pagar por isso.
Espaço publicitário - Para maiores informações sobre aps, alugueis e preços posso passar a todos o contato da melhor corretora do bairro...nada mais nada menos que minha irmã Paty. – fim da publicidade.


Antes de terminar não posso deixar de ressaltar a importância poética que este lugar representa em nossas vidas. Aqui mais que amigos somos família. Aqui vive Paty e Joan e os pequenos; aqui vive Jesus e Deco. Kinha trabalha ali na esquina; mais adiante encontramos a Pili e Joan. Em baixo de casa Lulu vai ao parque e no barzinho do lado tem a cerveja favorita de Jadiel. O dono do mercado abraça e beija a Lulu e vamos caminhando ao pediatra. Aqui tem “Enterro da Sardinha”, Carnaval, Coros, San Juan....mais que viver em Barceloneta, a Barceloneta vive dentro de cada um de nós.
* Todas as imagens sao de minha autoria e fazem parte de meu arquivo pessoal.

Comentarios

  1. Viajei no tempo e no espaço agora! amo a barceloneta, so nao é ,elhor que o raval kkkkk

    ResponderEliminar
    Respuestas
    1. Obrigada Vi!!! Cada Bairro com seu charme. Ja vou dedicar a você todo um post sobre Raval. Beijosss

      Eliminar
  2. Amo!!! Sempre será meu bairro do coração, saudade do pão da Balluard, do café da manhã no segons mercat, da praia, da praça do mercado, do cheiro e das paisagens de Barceloneta!!!

    ResponderEliminar
  3. Juju ameiii! Você escreve lindamente! Quero maisss!!!

    ResponderEliminar

Publicar un comentario

Entradas populares de este blog

Recomeçar do começo....

Foram muitos meses....uma pausa bastante larga...porém necessária. Todos os processos da vida requerem certo tempopara serem bem assimilados. E pensando bem, foi rápido! Nesses dez meses de ausência aqui do Blog deixamos o Brasil – no verão (e isso deve ser dito) – e voltamos a Barcelona no inverno. Lulu, nossa filha, tinha acabado de fazer um ano. Começamos em uma casa nova e dois meses mudamos a outra. Jadiel levou dois meses em um trabalho e então decidiu mudar (e já leva Oito meses no seu trabalho atual); eu que levava dois anos afastada da vida laboral por muitos motivos (entre eles meu projeto mãe) voltei à ativa....e rápido! O que para Lulu foi um pouco repentino. Passou de sua rotina de estar em casa comigo todos os dias a freqüentar uma escolinha aonde – desde as professoras até os coleguinhas – todos falavam com ela em Catalão.....e tudo na mesma semana!!! Levou dois dias exatos para se adaptar (Graças a Deus); foi uma das melhoras decisões que tomamos: sofrida, mas acertada…

Sair ou não do Brasil? Eis a questão....

Gente! Vamos combinar! Sair do aconchego, da facilidade, das delícias - e às vezes dissabores – da casa de nossos papis é bastante complicado! Imagina então quando essa saída é uma “cruzada de charco” tremenda e você vai parar lá em outro canto do mundo! Com a gente foi bem assim...
Um grande amigo – Victor Aloy – tinha resolvido viver em Barcelona. Até este ponto para mim Espanha era a terra de minha mãe, dos meus avós e dos demais parentes que nunca tínhamos conhecido. Legal! A vida inteira tivemos a dupla cidadania e nunca soubemos muito bem o que fazer com ela. Numa reviravolta do destino, Paty, minha Irma, de um dia para outro resolve “dar um tempo do Brasil” e também vai para Barcelona. Ok! Exatamente um ano depois, eu e Jadiel, três meses de casados, desembarcávamos em El Prat – aeroporto de Barcelona – com 9 malas, 6 amigos, um punhado de Euros no bolso e muitas idéias na cabeça.
Pensando friamente, e quase nove anos depois, em um bom linguajar español eu diria que: “hay que ten…