Ir al contenido principal

Estudar na Espanha – Único Capítulo.



Bem, companheiros de jornada, esclarecidos todos os pontos referentes ao Trabalho, quero fazer este post sobre modalidades de estudos. Um pouco extenso será, confesso! Porém necessário!



Sem mais delongas....quem leu o post “Trabalhar na Europa – Capítulo III” já começou a se familiarizar um pouco com alguns processinhos burocráticos. Nada que seja inalcançável galera!! Existem diversas formas e opções de cursos bacanas para que você deixe a sua zona de conforto e “mueva este culito” para fora do Brasil.



Comecei a ler exaustivamente sobre universidades, transferências, documentos e afins, quando Jadiel (my hub) resolveu terminar a Universidade que ele havia começado em Salvador, aqui em Barcelona. Dica!! Dica!! Quando digo “ler exaustivamente” é sentido literal, viu minha gente?? Aprendi que a melhor maneira de você encurtar, ou melhor, não se perder nos “caminhos” de um processo burocrático é entendê-lo perfeitamente. Letra por letra, parágrafo por parágrafo. O que é necessário? Por quê? Aonde devo enviar? Que carimbos e de onde?

Parece TOC....mas não é! Vai por mim!!  Anyway....



Qualquer indivíduo que queira permanecer em solo espanhol, com o intuito de estudar algo, por mais de três meses (90 dias) vai necessitar de um VISTO DE ESTUDANTE.

*Posso fazer algum cursinho sem visto??

- Claro que sim hijo mio!! Inclusive existem opções bem legais de cursos de férias, entre 1 e 2 meses, que incluem aprendizado do idioma e vivências culturais. Ë só escolher uma escola do seu agrado e....se jogar!!

Dica!! Dica!! O ano letivo na Espanha começa em setembro. Fiquem atentos porque a maioria dos editais de matrículas são postados a partir de Junho ou Julho. Para estes cursinhos rápidos as matrículas existem durante todo o ano.



*Ok! Preciso de visto. E agora?

- Existem duas classes de visto para estudantes: Curta Duração – para períodos entre 91 e 180 dias. E esses não podem ser renovados de jeito nenhum. Longa Duração: Para estâncias de mais de 180 dias. A renovação pode ser feita mediante a comprovação, por parte do aluno, que as metas foram alcançadas e que o mesmo necessita mais tempo para complementar, fazer algo extra, relatórios e tal.

Dica!! Dica!! E essa é repetida....lembrem-se que a Espanha não tramita visto dentro do seu território. Vocês devem solicitar o mesmo ainda em solo brasileiro e com certa antecedência. Escolheu o curso, entrou em contato com a escola, matrícula em mãos, documentos reunidos, se manda para o consulado!! A renovação do visto é que, maioria das vezes, pode ser feita por eles.

Amores, antes de começarem todo este processo, tenham duas coisas muito em conta e definidas: a primeira é que, independente do valor do curso que você escolheu, para obter o visto deve existir uma comprovação de disponibilidade financeira equivalente agora a 1000 Euros por mês de permanência (digo agora porque antes era 1700 ou 1500 e esse valor pode variar de acordo com o consulado que esta tramitando seu documento). A segunda coisa bastante importante é que será exigido um seguro saúde internacional (salvo engano me parece que gira em torno de 1200$/ano) que cobre inclusive repatriação em caso de falecimento (Lá ele!!).

Também quero lembrar o seguinte: todo e qualquer documento brasileiro a ser utilizado por um consulado ou mesmo na Espanha, deve estar devidamente legalizado pelo Itamaraty e traduzido por um profissional juramentado. São passos muito importantes e que devem ser levados em conta na hora em vocês pensarem no tempo....pode demorar um “tiquim”....

Link interessante:




Agora vem a melhor parte....O QUE VOCÊ QUER ESTUDAR?



*Curso de idioma Espanhol (e porque não Catalão?)

Existem de vários tipos, preços e duração. Normalmente são fantásticos para fazer amigos, formar a velha “tchurma” e viver a cultura. Gente de todo o canto do mundo pode estar presente na mesma sala de aula. O legal é estar atento para saber se a escola escolhida por você está devidamente cadastrada no consulado. Se o curso é válido para que você possa sair beleza com seu diploma.



*Faculdade (Graduação)

Existem três meios de fazer uma faculdade na Espanha: Intercâmbio, Transferência e desde o começo.

Para fazer um intercâmbio entre uma “facul” brasileira e outra espanhola, é interessante que você busque as que são conveniadas, ou melhor, as que tenham acordos entre elas. É mais fácil na hora de convalidar disciplinas.

Se você já começou a estudar no Brasil e deseja finalizar aqui – que foi o caso de Jadiel – é interessante que, depois de escolher a faculdade e o curso do seu interesse, dê uma lida detalhada na grade de disciplinas e compare com as que já foram cursadas por você no Brasil. Digo isso porque pode se solicitar uma convalidação parcial dos estudos que já foram feitos. Tudo isso respeitando os prazos e as documentações exigidos por cada entidade. Nota!! Nota!! Este processo demanda que, no mínimo, você tenha cursado cinco disciplinas ou 30 créditos (tudo dependendo da carga horária) na universidade de origem. Depois de dar entrada no processo deve-se aguardar a resolução da homologação ou não das matérias e, quando positivo, fazer a matrícula e partir pro abraço!!

Para entrar na Faculdade aqui e cursar desde o começo o processo é um “tantin” mais complicado, mas todo túnel escuro tem seu clarão de luz no final!! Vamos lá!!

Antigamente existia uma prova aplicada aos que queriam cursar a Universidade e se chamava selectividad; a lei mudou, acordos foram assinados (Thankx God) e essa prova se foi!! Agora o que você necessita é o seu Diploma do ensino médio, devidamente traduzido, legalizado e convalidado. O processo para convalidar o diploma vai depender do consulado ao qual será submetido. Lá também você receberá orientações precisas de toda a documentação a ser aportada. Diplominha em mãos, segundo passo é solicitar a vaga na universidade de interesse, a mesma vai se responsabilizar do processo de admissão.

Links de Interesse:


As universidades espanholas têm a obrigação de destinar de 1 a 3% de suas vagas a estudantes estrangeiros....esses números vão variar de uma instituição/curso para outra. Outra notícia é que se você tem mais de 25 anos e não concluiu o ensino médio, aqui na Espanha existem provas específicas para os maiores de 25 poderem ter acesso à universidade.  Assim também será para os que são maiores de 40.



*Pós graduação.

Existem três tipos básicos de estudos de pós graduação: Doutorado, Máster, Formación Contínua ou Permanente.

Pessoas..... tenham a seguinte coisa em mente, grande parte dos espanhóis – vou até ser mais abrangente – grande parte dos europeus não dá muita “importância” a títulos universitários. Não são essenciais para conseguir um bom emprego ou fazer um concurso. Totalmente diferente do Brasil que é o país da papelada e do diploma; não importa os anos de experiência e as habilidades pessoais, se não existe um papel para mostrar a vaga será daquele recém saído da “Uni” com seu titulozinho em mãos. Vamos combinar? Ponto para a Europa neste quesito!

Isso tudo foi dito para informar aos queridos que, devido muito a este fato, os processos seletivos para Doutorados e afins são relativamente bem tranqüilos.

Primeiro passo:

*Escolha o curso e o tipo de estudos que você quer realizar, tudo de acordo com a sua área profissional (por supuesto).

*Segundo passo: Provavelmente para realizar um Doutorado você vai necessitar do seu título de mestrado (antes não era necessário). Daí pense em legalizar e traduzir tudo como Deus manda.

*Se você ainda não fez o mestrado, este pode ser também realizado por aqui – “Máster Universitário”.



Este Link é super interessante, pertence ao Ministério da Educação, ou seja, oficial e dá para esclarecer bastante como funciona o esquema de Educación Superior en España.


O Máster Universitário, como dito anteriormente, é pré-requisito para o acesso ao Doutorado. Em alguns cursos se oferecem duas opções de estudos: profissional ou pesquisador. No primeiro caso o Projeto Final deve ser prático e, no segundo caso, teórico. O valor é tabelado pelo governo e se baseia no número de créditos a serem cursados que vão de 60 até 120. Os mesmos devem ser consultados em cada Universidade. A duração também vai depender de cada curso, mas pode ser entre 1 e 2 anos.

O Doutorado aqui é bastante semelhante ao do Brasil. Aprovado no Máster, o aluno diretamente já pode inscrever a sua proposta de tese em algum departamento relacionado. Depois de aceita, é só realizar a matrícula sem nenhum problema, contando ainda que este vínculo com a Universidade em questão pode durar até a finalização da tese. Novamente os valores são variáveis a depender de cada Universidade.



Bom meu amores, muita paz na jornada e sorte!!



Abraço!



Fotos: Nao posso fazer um post chamando vocês para virem a Barcelona e nao colocar fotos de meu lugar favorito: Port Vell, Barceloneta. Precisamente estas fotos foram feitas desde Port Vell (Maremagnum) mirando à velha e poética Barceloneta. No andar de cima do Maremagnum estao alguns cafés fantásticos de onde se pode apreciar a vista tomando um bom vinho. Viva Barcelona!!


Comentarios

Publicar un comentario

Entradas populares de este blog

O Bairro e o Mar...poeticamente La Barceloneta.

De todos os cantos do mundo Amo com um amor mais forte e mais profundo Aquela praia extasiada e nua, Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.                                           (Mar – Sophia de Mello Breyner Andresen)


Não posso falar de meu bairro...não posso falar de La Barceloneta sem antes postar uma imagem feita com os “olhos do meu coração”. Faz tempo que queria escrever algumas linhas boêmias sobre essas ruas pequenas, sobre estes cafés de esquina, a confusão ruidosa do mercado central, o vai e vem dos “guiris” (gringos) no passeio marítimo...faz tempo. Faz também muito tempo de minha íntima relação com La Barceloneta – o bairro favorito de minha mãe (e de meu pai). Dona Nita caminha sem rumo por estas “calles”, fascinada com o vizinho que coloca o seu varal de roupa na calçada, do lado de fora de casa, e que aos outros vizinhos não lhes importe nem o mínimo a coleção de intimidades que aí está exposta. Minha mãe que em apenas um mês pode construir uma relação de sólida amizade c…

Recomeçar do começo....

Foram muitos meses....uma pausa bastante larga...porém necessária. Todos os processos da vida requerem certo tempopara serem bem assimilados. E pensando bem, foi rápido! Nesses dez meses de ausência aqui do Blog deixamos o Brasil – no verão (e isso deve ser dito) – e voltamos a Barcelona no inverno. Lulu, nossa filha, tinha acabado de fazer um ano. Começamos em uma casa nova e dois meses mudamos a outra. Jadiel levou dois meses em um trabalho e então decidiu mudar (e já leva Oito meses no seu trabalho atual); eu que levava dois anos afastada da vida laboral por muitos motivos (entre eles meu projeto mãe) voltei à ativa....e rápido! O que para Lulu foi um pouco repentino. Passou de sua rotina de estar em casa comigo todos os dias a freqüentar uma escolinha aonde – desde as professoras até os coleguinhas – todos falavam com ela em Catalão.....e tudo na mesma semana!!! Levou dois dias exatos para se adaptar (Graças a Deus); foi uma das melhoras decisões que tomamos: sofrida, mas acertada…

Sair ou não do Brasil? Eis a questão....

Gente! Vamos combinar! Sair do aconchego, da facilidade, das delícias - e às vezes dissabores – da casa de nossos papis é bastante complicado! Imagina então quando essa saída é uma “cruzada de charco” tremenda e você vai parar lá em outro canto do mundo! Com a gente foi bem assim...
Um grande amigo – Victor Aloy – tinha resolvido viver em Barcelona. Até este ponto para mim Espanha era a terra de minha mãe, dos meus avós e dos demais parentes que nunca tínhamos conhecido. Legal! A vida inteira tivemos a dupla cidadania e nunca soubemos muito bem o que fazer com ela. Numa reviravolta do destino, Paty, minha Irma, de um dia para outro resolve “dar um tempo do Brasil” e também vai para Barcelona. Ok! Exatamente um ano depois, eu e Jadiel, três meses de casados, desembarcávamos em El Prat – aeroporto de Barcelona – com 9 malas, 6 amigos, um punhado de Euros no bolso e muitas idéias na cabeça.
Pensando friamente, e quase nove anos depois, em um bom linguajar español eu diria que: “hay que ten…